terça-feira, 15 de abril de 2008

Do leitor Luís Correia

Não li muito de António Lobo Antunes, o suficiente para afirmar: o principal objectivo dele é entender-se a si próprio, ler-se, perceber-se, ver-se, analisar-se, comparar-se, olhar para dentro de si, de todos os lados, em todas as perspectivas possíveis, consoante o seu sentimento de cada momento. Na descoberta de si. O porquê de sentir isto e não aquilo agora e não amanhã. Sinto o seu mundo interior como a única verdade importante e necessária na vida. Ele sofre imenso com essa forma de estar a vida. Mas e essa mesma dor o motivo, ao mesmo tempo, da sua maior alegria porque sente que chega lá. À verdade dele. (Só dele ou de todos nós?). Sou leigo na matéria, felizmente, o que me obriga a senti-lo e a vê-lo só comigo próprio, com aquilo que sou, penso e sinto. António Lobo Antunes é um mundo, o meu mundo.

Luís Correia


Luís Correia
e-mail de 15.04.2008

Sem comentários: