quinta-feira, 17 de abril de 2008

Do leitor Rodrigo Simeão Versos

Dr. Lobo Antunes.

Acabo de ler uma crónica sua, na Visão, e de facto V. Exa. é um dos poucos escritores nacionais - vivos - que se conseguem ler sem se ficar com a sensação de que, quem escreveu o que se lê, não pensou minimamente no que escreveu, escreveu aquilo que escreveu como podia ter escrito qualquer outra coisa, no fundo são aqueles que “não desconfiam sempre no caso das palavras” lhes chegarem depressa de mais.

Um dia destes ouvi uma tal Dr.ª Rita Ferro, teoricamente escritora, dizer que os seus livros são absolutamente ininteligíveis, - anda-se de um lado para o outro para os perceber; pois eu digo-lhe que é esse dita ininteligibilidade que torna os seus livros absolutamente fascinantes, bons de ler e reler, de parar de ler para pensar o que se leu, pensar no que se leu e retomar a leitura, em suma de os ler. A leitura dos livros ditos inteligíveis – não sei se é o caso dos livros de tal Sr.ª Dr.ª, pois nunca os li – deve ser uma actividade maçadora, desmotivante, e boa para quem quer bater recordes de leitura do tipo x livros por mês, ou para quem quer substituir programas de televisão idiotas por livros igualmente idiotas, sem ideias e rápidos de ler que é para o os “miolos” não torrarem nas primeiras páginas.

Permita-me que lhe diga, na senda da sua cónica: “Aguente-se” e escreva, pois terá sempre quem leia com gosto.

Com os meus cumprimentos,

Rodrigo Simeão Versos


Rodrigo Simeão Versos
e-mail de 17.04.2008

Sem comentários: