quarta-feira, 7 de julho de 2010

i online: António Lobo Antunes "surpreendido" e "contente" com homenagem em 2011 em Paris

O escritor António Lobo Antunes afirmou-se “surpreendido” e "contente" com a homenagem de que será alvo durante o primeiro semestre do próximo ano no MC93, um complexo cultural no norte de Paris.
“Isto tudo é muito surpreendente, e claro que me dá prazer. Já não salto nem pulo com as coisas. É um programa majestoso. A única coisa que me interessa é escrever e criar um mundo”, afirmou.
O escritor revelou à Lusa que começou a 02 de Março a escrever um novo romance - “a única coisa que sei fazer”.
Lobo Antunes falava durante a conferência de imprensa que hoje decorreu em Lisboa para a apresentação da iniciativa, cujo programa oficial que integra 50 espectáculos será divulgado em Outubro.
Hoje ficou a saber-se que durante o primeiro semestre de 2011, nas três salas do MC93 acontecerão leituras, conferências, ateliers, instalações e espectáculos que contarão com a participação de encenadores e atores consagrados como Georges Lavaudant, Toni Servillo ou os portugueses Maria de Medeiros e Luís Miguel Cintra.
Os 50 espectáculos e outros eventos previstos “debruçar-se-ão sobre as 11 mil páginas de Lobo Antunes traduzidas em francês”, disse o diretor do MC93, Patrick Sommier.
A editora francesa de Lobo Antunes, Dominique Bourgois, explicou que a ideia “juntou muitos outros nomes franceses, portugueses, e de outros países europeus, muitas vezes espontaneamente”.
Lobo Antunes referiu “a excepcionalidade” de todos os participantes e contou que “muitos deles comunicavam entre si enviando por SMS frases” de romances seus.
Patrick Sommier afirmou que “os leitores de Lobo Antunes constituem uma espécie de sociedade secreta”.
Sommier afirmou que esta “iniciativa inédita” se enquadra na ideia de que “o teatro necessita da literatura”, tendo sido realizadas outras idênticas, não de tão grande envergadura, e com escritores já desaparecidos.
A editora portuguesa do escritor, Maria da Piedade Ferreira, das Publicações D. Quixote, salientou que esta é a primeira homenagem a um escritor vivo, e referiu que "são constante e cada vez mais os convites para participações" do escritor em diversos eventos.
"Há um cada vez maior interesse em conhecer Lobo Antunes", rematou. “Não a um escritor em língua portuguesa, mas a qualquer escritor vivo”, sublinhou.
Falando à Lusa, Lobo Antunes salientou "a magnitude do evento", afirmando que Portugal "devia apostar mais na cultura, que é o que nos identifica".
Visivelmente satisfeito pela iniciativa, Lobo Antunes não deixou de reafirmar à Lusa que o seu interesse maior continua a ser a escrita.
"Cada vez mais relativizo prémios e honrarias, o que me interessa é escrever e criar um mundo. Não tiro disto vaidade nem orgulho”, afirmou.
Lobo Antunes conta deslocar-se na próxima primavera a Paris para o lançamento da tradução francesa de “Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar” pelas Éditions Christian Bourgois, pela qual tem publicados 24 títulos.
A ida a Paris é uma das quatro saídas do país que o escritor tem programadas.
À Lusa o escritor referiu “o orgulho que a comunidade portuguesa sente com este tipo de iniciativas” e que teve hipótese de testemunhar quando foi um dos homenageados no Festival de Salzburgo, em 2005.
A iniciativa no MC93 em Bobigny (norte de Paris) tem o seu começo previsto a 17 de janeiro próximo.

citado de i on line
06.07.2010

Sem comentários: