quarta-feira, 9 de maio de 2012

Norberto do Vale Cardoso: «Evangelho de Judas segundo António Lobo Antunes»

ALA entre ex-camaradas da guerra

Um excelente e inédito artigo sobre a guerra colonial na obra de António Lobo Antunes, escrito como primeiro ensaio da tese que foi publicada no volume A Mão de Judas (Col. Ensaio - ALA) por Norberto do Vale Cardoso:

A importância progressiva da obra de António Lobo Antunes não pode descurar o impacto da Guerra Colonial. Assim, trinta anos depois da publicação dos primeiros romances, cabe compreender que Memória de Elefante e Os Cus de Judas são romances de aprendizagem e formação, não apenas de uma experiência empírica narrada autobiograficamente, mas também de formação de um escritor. Este mistério da escrita, ou esta “inexplicável materialização do milagre”, que hoje se traduz na referência à mão que escreve está dependente de uma concepção do mundo que vem desedipianizar e desmistificar um país consolidado numa religiosidade crónica. Como se de um “evangelho” se tratasse, essa mão contacta com a vida dos “homens possessos”, aqueles que peregrinaram numa guerra inexplicável e inexplicada.


* por cortesia do autor 

1 comentário:

TERESA SANTOS disse...

Diálogo, hoje.

- Obrigada, António.
(LA tinha afirmado, momentos antes, que há quem lhe chame apenas António ou Sr. Dr.. Preferência? António! Então ela decide retirar o Sr.)

- De quê? Nunca me fez mal!

Agora, ela repete: obrigada, António, obrigada pelos belos momentos de puro prazer intelectual.

Obrigada, António.